28 de outubro de 2016Lifestyle

First things first #unmatrimoniofelice

E o primeiro post sobre o meu casamento não poderia ser diferente. Eu não conseguiria começar a mostrar tudo sem antes organizar e contextualizar melhor as coisas. Talvez porque pra mim, aqueles dias e seus respectivos registros representam o resultado de um longo e profundo processo de, mais do que tudo, amor e auto conhecimento. Ao longo de oito meses me questionei incessantemente sobre mil e um aspectos da minha vida pra melhor entender o que faria sentido acontecer naqueles três dias de un matrimonio (molto) felice. Pra quem não sabe, vou contar só um pouquinho sobre a história desses pombinhos da vida real que, esse ano, finalmente legitimaram um status que na verdade já existia há algum tempo.

Eu e Fernando nos conhecemos da forma e nas condições mais improváveis do mundo. Nós tinhamos quinze anos de diferença de idade, éramos solteiros, felizes, e não procurávamos ou até mesmo quereríamos um relacionamento sério. Pra falar bem a verdade, credito essa falta de expectativa mútua à leveza que nos possibilitou tanta paixão em tão pouco tempo. Nosso começo foi lindo, intenso, verdadeiro e um forte pilar pra nossa relação. Vivemos anos de alegrias, dores, lágrimas, aconchegos, recuos, ponderações, decisões, crescimentos, divisões, separações, buscas e renovações. Como eu costumo dizer, a vida a dois é pros fortes e, se hoje estamos aqui é porque lutamos muito pra que desse certo.

Por diferentes motivos da vida, demoramos pra de fato oficializar a nossa união mas, como disse a minha cunhada no texto que leu em nossa cerimônia, já éramos mais casados que muita gente casada quando enfim nos casamos. A intenção foi sim a de iniciar um novo ciclo, mas de também comemorar e celebrar uma coisa que já existia muito forte entre nós dois.

Deixo vocês com o texto que abria o site do nosso casamento e algumas das fotos que tiramos 24 horas antes do grande dia. Semana que vem conto sobre como fomos parar na Toscana.

A verdade é que histórias de amor não costumam chegar com manual de instruções e a nossa não foi diferente. Juntos, vivemos os momentos mais intensos, bonitos e difíceis de nossas vidas. Descobrimos que depois da paixão arrebatadora, existia um sentimento surpreendentemente forte capaz de sobreviver às piores crises e tempestades. Descobrimos que o amor considera, releva e também renasce. Descobrimos o tão chamado amor de verdade. Ao longo de quase oito anos, conhecemos as mil e uma facetas vividas por quem ama e quer fazer dar certo, para, sem querer, descobrirmos uma pequena família de duas pessoas. À escolha diária que fazemos ao nosso amor e a tudo aquilo que realmente importa, convidamos você a celebrar. Vem que vai ser lindo! 

• thought you might also like •

  1. Mariana Oliveira, 29 de outubro de 2016 - 1:06

    Muito lindas as fotos! Ansiosa para os próximos posts! Conta um pouco mais do anel de noivado? É o mais lindo que eu já vi!!!!!!

    • Gabriella Magalhães, 30 de outubro de 2016 - 10:12

      Oi Mariana! Fico feliz que você tenha gostado das fotos e ainda queira ver mais 🙂
      O anel de noivado é 100% mérito do noivo! Ele escolheu tudo sozinho e me surpreendeu com o que, modéstia à parte, também acho o anel mais lindo que já vi! Ele é da Tiffany e existem muitas variações do modelo dele que se chama Soleste.
      Beijão!

  2. Sílvia, 1 de novembro de 2016 - 14:03

    Oi Gabriella!
    Adoro sua narrativa! É concisa, mas não esquece detalhes importantes. Muito bom ler seus textos!
    Não costumo comentar, mas seu casamento foi de um bom gosto ímpar. Parabéns!
    Beijos!

Leave a note

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *