1 de novembro de 2016Wellbeing

An open world begins with an open mind

Semana passada estava passeando pelo facebook e vi um vídeo que tinha a legenda “o vídeo que todos deveriam assistir”. Me deparo com muita coisa legal nessa comunidade “facebookiana”, acho aliás que esse é hoje o ponto mais positivo de se manter uma conta por ali. Sim, existem aquelas imagens horrorosas que eu não consigo muito compreender quem gosta de compartilhar, mas sigo aqui no meu exercício de focar no lado positivo da vida. Isso tudo pra dizer que, independente deu ver coisas legais por aí, sei que não costumo trazer pra cá assuntos que não se relacionem de alguma forma ao nosso tão amado universo visual.

Acontece que esse espaço é antes de tudo um lugar voltado ao bem estar e, quanto mais o tempo passa, mais eu concluo o quanto um coração tranquilo é essencial pra que sigamos o nosso caminho em paz. Percebo como, inconscientemente, nutrimos sentimentos negativos que acabam por impedir a nossa evolução. Pra mim, gentileza gera gentileza, respeito é o maior segredo de todos, e nada como passarmos a dar de forma incondicional para que tudo comece a se transformar a nossa volta.

Em tempos de guerras, incertezas e desilusões, a momondo, empresa que oferece gratuitamente o serviço de comparação de preços de passagens aéreas, lançou a campanha Lets Open Our World e a minha admiração por iniciativas como essa é maior do que consigo transmitir em palavras.

“We only have one world, but it’s divided. We tend to think that there are more things dividing us than uniting us.
momondo was founded on the belief that everybody should be able to travel the world, to meet other people, and experience other cultures and religions. Travel opens our minds: when we experience something different, we begin to see things differently.
To celebrate the colourful diversity of the world, we invite you to join The DNA Journey. We hope it will inspire you to explore your own diversity and discover how you are connected to the rest of the world.”

Agora é só apertar o play e entender porque esse é sim um vídeo que todos deveriam assistir.

• thought you might also like •

  1. Francine Dezidério, 3 de novembro de 2016 - 22:38

    Gabi, adorei o vídeo! Eu já pude viajar um pouco e sempre tive essa sensação quando conheço alguma cultura, de que somos muitos diferentes fisicamente, talvez diferentes em alguns costumes, mas no fundo somos tão iguais, queremos todos as mesmas coisas, temos hábitos básicos tão parecidos, e agora que estou vivendo essa experiência mais profunda morando na Austrália, um país que recebe tantas culturas diferentes, eu posso ver no dia a dia que no final somos todos simplesmente da raça humana e pronto. Ontem mesmo estava falando com uma amiga turca e muçulmana, que sofre muito preconceito por isso, como somos tão iguais, sofremos pelas mesmas coisas, sonhamos os mesmo sonhos, como pode tanta gente se odiar, impossível entender!
    Jesus, me empolguei! hahaha Enfim, é bom saber que sempre irão existir mais pessoas positivas, que veem mais a igualdade do que as diferenças, eu sempre penso que quem pensa de forma quadrada é a minoria, a gente não tem que se assustar, nós somos a maioria!

  2. Gabriella Magalhães, 6 de novembro de 2016 - 11:23

    Francine, eu concordo 100% com você e acho que a possibilidade de desenvolvimento dessa percepção é um dos grandes privilégios de quem realmente viaja. Porque tem gente que até pega o avião e pousa em outro país, mas a real experiência de uma viagem nem todos tem a sensibilidade de vivenciar. Eu mesma percebi que, no passado, já passei por vários lugares sem realmente vive-los.
    Essa sensação de “poder enxergar aos outros como a si mesmo” que você teve com sua amiga turca, eu vivi por muito tempo sem saber como digerir. Acredito que por vivermos num sistema que não dá muito espaço pra colaboração e compaixão, acabamos por não sabermos o que fazer com esses sentimentos quando nos deparamos com ele. Acho, sinceramente, que fazer a nossa parte pra que isso mude pelo menos a nossa volta, é o maior passo que podemos dar. Eu acredito que o mundo tem mais gente boa do que qualquer outra coisa, só temos que cultivar um contexto mais favorável pra que toda essa energia do bem se desenvolva melhor.
    Amei o seu comentário! Pode voltar sempre!

Leave a note

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *