x

Pra não perder as novidades,

Escreve o seu email aí embaixo

Prometemos só aparecer na sua caixa de entrada quando realmente valer à pena ;)

19 de janeiro de 2017Wellbeing

Despertando a Consciência

O primeiro post de 2017 se mostrou uma tarefa não muito fácil de se realizar. Foram muitas e muitas páginas rascunhadas pra chegar até aqui (a metáfora, tipo pra vida, também é verdadeira) e, relendo o primeiro post de 2016, me sinto orgulhosa de ter avançado em grande parte daquilo que busquei (além de especialmente realizada em relação à minha coerência: reescreveria tudo aquilo de novo apenas com algumas adições). Resolvi então encarar 2016 (o post e o ano) como uma introdução a 2017. Se no início do ano passado eu falava de forma abrangente sobre inspiração, motivação, priorização, foco, otimismo, volta às raízes e auto análise, hoje eu resolvi focar no último desses itens. Afinal, pelo menos pra mim, sem a tal da auto análise fica impossível de arrumar todo o resto.

Por aqui as indagações sempre existiram (tipo desde de criança #tenso) e com o passar do tempo elas só se tornaram mais fortes. Acho, por exemplo, uma doideira quando me deparo com pessoas que tem escrito na testa a ausência do auto questionamento. Logo volto a me questionar (há!): “como pode?!”. Faz como nos momentos de angústia e ausência de perspectivas? Faz como quando a vida empaca e a gente não sabe pra onde vai? Faz como quando o chão se abre? Mistério. Vai ver esses momentos não chegam ou pelo menos ainda não chegaram pra alguns. Só sei que viver no limbo, sem aprofundar, é uma escolha (quase sempre inconsciente) que te priva sim de sofrimentos, mas também te priva de muita coisa linda que a gente nem imagina que possa existir.

No meu caso, analisando aqui agora, enquanto 2015 foi um ano de muitas dores, 2016 não foi menos duro na auto missão de recolhimento dos caquinhos e reestruturação. Sabe, dependendo do que a gente passa, não rola de voltar pra vida como se nada tivesse acontecido. Ou a gente cuida de si pra se organizar e ficar mais forte, ou uma hora a conta chega, tornando quase impossível a tarefa de se livrar daquele peso que pode acabar por nos consumir.

Se tem uma coisa que vou levar comigo do ano que passou, é a iluminadora experiência de pela primeira vez ter mergulhado profundamente em mim mesma. Acho que esse wow moment onde tudo parece ficar mais claro e a visão muito mais ampla vem por meios e em fases diferentes pra cada um daqueles que tem o privilégio de vivê-lo. O que, na minha humilde opinião, existe como denominador comum entre todos os seres humanos que o vivenciam é a sensação de paz, calma e leveza como resultado desse despertar da consciência. Comigo, tudo começou quando fui parar numa nova psicóloga (foram muitas as diferentes tentativas ao longo dos últimos anos). Nem me pergunte como esses encontros acontecem, só sei que acredito bastante em energia e não acho nem um pouco que o meu caminho cruzou com o dessa pessoa por acaso. Talvez, em qualquer outro tempo ou espaço essa conexão não teria acontecido de forma tão bonita. Precisamos estar abertos pras coisas boas entrarem nas nossas vidas.

Comecei até a compreender melhor sobre a relação do homem com a religião. Sobre o porque de algumas pessoas virarem gurus de outras. A porta que me foi aberta pro auto conhecimento é realmente transformadora. Entendi o quanto passei a vida responsabilizando os outros pelas minhas questões. Tipo real. Tipo real mesmo. E por mais que isso possa parecer muito comum, quase óbvio, eu te digo que não é. Te digo que o negócio tá muito mais no fundo do que conseguimos imaginar. Te digo que mesmo quando achava que não estava responsabilizando ninguém, na verdade eu estava. Te digo que eu já tinha (ainda tenho, tá?) mil mecanismos de defesas prontos pra me “proteger” da realidade. E olha que eu sempre me achei “de olho em mim mesma”, hein. Me lembro do filme Inception (!!!) onde se usa as várias camadas que um sonho pode ter dentro do outro afim de ilustrar a complexidade do nosso inconsciente. É tipo por aí, difícil pra caramba.

Então, basicamente, o ano passado foi o ano em que percebi que estava indo pelo caminho errado. Foi o ano que eu trombei com uma pessoa que conseguiu me mostrar de forma efetiva o quanto eu sou a real responsável pela minha vida (é lógico que me dou muito crédito nesse movimento, mas negar o quanto venho sendo ajudada seria um grande erro) e, de verdade, isso muda absolutamente tudo! Percebi que o outro funciona como um espelho pra gente e que quanto maior é o vínculo emocional, maior são as nossas projeções daquilo que ainda não foi devidamente identificado e elaborado dentro de nós. Percebi que o outro não tem o poder de nos perturbar, e que somos nós que nos perturbamos por conta das nossas próprias reações diante dos aspectos difíceis de lidar que a outra pessoa está trazendo (tem que concentrar, eu sei). Percebi que nos auto sabotamos na crença de que a felicidade vem de fora. Percebi a razão da dificuldade de relações saudáveis e harmoniosas. Percebi que independente dos defeitos do outro, quando nos perturbamos com algo que outra pessoa faz, a hora é de olharmos pra nós mesmos e identificarmos a real questão.

Aos poucos, tenho começado a experimentar um sentimento positivo, de quem acredita num mundo melhor e tem fé nas pessoas. Esse estado de percepção mais ampliada abre espaço pra uma espiritualidade incubada se aflorar, resgatando o que há de mais profundo e importante dentro da gente. Tenho cada vez mais noção do tamanho do caminho que ainda tenho a percorrer, mas sinto estar dando passagem a uma nova visão, uma nova forma de olhar o mundo e me relacionar. Passei a mais do que nunca sentir um anseio por fazer o bem e sei, inclusive, que a determinação pra escrever esse post veio desse novo sentimento. Acredito mesmo que quando nos colocamos vulneráveis nos livramos de pequenas fraquezas, por assim dizer.

Hoje, mais do que nunca, acredito no meu poder de fazer a diferença. Não porque eu tenho esse poder, mas porque todos nós temos esse poder. O poder de nos tratarmos bem e refletir esse tratamento pro mundo. Todos nós precisamos despertar pra lembrança de quem somos e o que viemos fazer aqui. Se eu não aguento mais ver tanto ódio, descriminação e injustiça, o melhor que posso fazer é dar o exemplo do contrário na minha própria vida. To become the message, to be the thing you wish to see in the world. Porque saber responder o ruim com o bom é uma das maiores sabedorias do homem e, como diria uma amiga muito especial “quando as coisas são feitas tendo o amor como base, é só amor que essa coisa carrega”. Feliz ano novo, pessoal! Com agradecimento especial ao pessoal do Torra Clara por me deixar registrar esse espaço tão gostoso e à linda da Nicole por ser tão querida na hora de tirar as minhas fotos.

• thought you might also like •

  1. Bel, 19 de janeiro de 2017 - 16:02

    Amei as fotos, gosto muito dessa cafeteria!.

    Beijos, Bel
    http://belsantanna.com/

    • Gabriella Magalhães, 29 de janeiro de 2017 - 14:46

      Também amo lá, Bel! Tudo é uma delícia!

  2. Guilherme Galvão Simões, 19 de janeiro de 2017 - 16:06

    Belo texto Gaby, inspirador!!

    • Gabriella Magalhães, 29 de janeiro de 2017 - 14:46

      Obrigada querido! Feliz de saber que você passa por aqui! 🙂

  3. Ana Paula Hoch, 19 de janeiro de 2017 - 16:39

    Gabi querida, a vida realmente nos presenteia com diversos acontecimentos, uns bons, outros ruins… A questão é sempre levá-los como uma aprendizagem. E ainda depois de tudo, precisamos de muito auto conhecimento para seguir em frente. Como é difícil, não é?
    Passei por um momento no final do ano passado, que na minha concepção, é inexplicavelmente difícil de compreender. E mais do que nunca precisarei de determinação, espiritualidade, positividade e clareza para entender o que a vida está me propondo. Seu texto foi um presente! Muito obrigada!
    Que 2017 te traga muita paz e auto conhecimento!
    E que a vida nos conceda muito amor! ?

    • Gabriella Magalhães, 29 de janeiro de 2017 - 19:37

      E como é difícil, Ana! Tenho certeza que, independente daquilo que tenha acontecido na sua vida, a força da superação existe dentro de você. Toma o seu tempo e foca naquilo que importa, é tão fácil se distrair com bobagem, né? Mas sabe, tudo tem uma razão de acontecer e em todo acontecimento existe um aprendizado disponível pra quem tiver a força de conseguir ver. Fico muito feliz mesmo em saber que meu texto te tocou e, possivelmente, até ajudou. Que os novos tempos sejam de muita luz, querida. Muito amor pra todos nós! ♥

  4. SOFIA, 19 de janeiro de 2017 - 17:17

    Gente, chorei!! Você definitivamente está vibrando na mesma frequência que eu!!!! Seu texto falou com meu coração!!

    Bjs,

    SOFIA

    • Gabriella Magalhães, 29 de janeiro de 2017 - 14:52

      Que delícia de comentário, Sofia! Você nem imagina o quanto fiquei feliz em saber da nossa sincronicidade! ♥

  5. Marina, 19 de janeiro de 2017 - 20:20

    ahhh… perai que caiu um cisco no meu olho <3
    Querida Gaby, que você continue fundo em sua busca, que você encontre a real felicidade… desejo isso, do fundo do coração, por você, mas também por que sei que sua mudança vai carregar dezenas e milhares de pessoas junto. É a tal da mudança que ocorre no mundo, quando a gente se torna aquilo no qual acreditamos. Esse testemunho é um farol de luz em um mundo que precisa desesperadamente relembrar a sua própria luz. Que você continue irradiando esse amor por ai, amiga mais e mais do que especial. Uma linda jornada para você! Que sorte – sorte não, benção – ter você na vida!

  6. Ana Sofia, 19 de janeiro de 2017 - 20:22

    Aii que delicia chegar em casa para um post novo! Eu amo esse blog, Gaby! Vê se não para de escrever! E feliz 2017!!

    • Gabriella Magalhães, 29 de janeiro de 2017 - 19:29

      Aaah, que delícia esse seu comentário, isso sim rs! Pode deixar que não vou parar não! Um 2017 lindo pra todos nós, querida!!!

  7. Ana Luisa, 19 de janeiro de 2017 - 23:27

    Gabi, lindo texto, lindo depoimento de uma mulher que busca aprender, se entender e crescer….
    Crescimento e felicidade, são para os corajosos….. A maturidade, nós vamos ganhando a cada dia, a cada encontro , a cada aprendizado…… Qto ao Amor, é sempre bom te -lo ao nosso lado. Tudo que fazemos com Amor, recebemos mais Amor. Para viver plenamente, precisamos nos Amar e amar nossas escolhas…..
    Um beijo carinhoso

  8. Lydia Alves, 20 de janeiro de 2017 - 7:09

    O clichê de que a vida é um eterno aprendizado é o exemplo perfeito do óbvio que precisa ser dito. E várias pessoas dizem isso todo o tempo, mas existem maneiras e maneiras de se dizer as coisas. Você tem o dom de usar as palavras certas, lançando mão de linguagem fluida, que entra no coração e mente.
    Minha conclusão de tudo que vivi resumo em duas frases: “vida não vem em uma bandeja de prata” e “o que sempre quis foi ser responsável pelos meus próprios erros”. Isso quer dizer: viver não é fácil e há que se encher de coragem todos os dias, mas se não fosse assim, que graça teria?
    Desde os 9/10 anos que as sua habilidade com as letras impressiona, haja vista aquele concurso nacional de redação em que a sua foi escolhida para representar a escola.Me lembro bem de, ao terminar a leitura, me pegar pensando de onde você teria copiado, tamanha a maturidade e eloquência.
    Pois bem, hoje suas palavras me representam.
    Parabéns,minha filha!

  9. Martha, 20 de janeiro de 2017 - 13:00

    Isso aí Gabi, vivendo a vida pelo direito e pelo avesso.
    Beijos
    Martha

  10. Aline, 20 de janeiro de 2017 - 19:07

    Maravilhoso!!!

    • Gabriella Magalhães, 29 de janeiro de 2017 - 19:38

      Obrigada, querida!

  11. Nara Brito Barro, 22 de janeiro de 2017 - 9:32

    Linda mensagem! Muitos evitam e/ou negam trabalhar a mentalidade, o emocional e o espiritual, mas a evolução é inevitável nessa vida (3ª dimensão). Ela vem pela dor ou pelo amor. Nessa caminhada, a gente vai se equilibrando, percebendo o que é o ego (sociedade) e o que realmente somos por dentro. E como você disse, tudo é energia, então atraímos por eletromagnetismo o que sentimos. A ficha cai de que nós criamos a nossa realidade, e isso é o livre arbítrio dado a nós.
    Seu texto me fez vir a mente uma série de vídeos sobre missão de vida de um universalista que acompanho, o Bruno Gimenes: https://www.youtube.com/watch?v=VyaT_eTs55w&t=463s
    Os vídeos aliviaram minha alma, pois soube que estou no caminho de evolução da minha alma. E o mais surpreendente é que o universo realmente atende tudo que queremos, por isso devemos ter o cuidado com o que chamam de entropia psíquica!
    Recebi hoje uma dica de livro, que repasso a você. Acredito que tem a ver com esse post, e também por entender que nada é por acaso: A coragem de ser imperfeito, de Brené Brown.
    Obrigada por abrir o coração.
    P.S.: Me deleito sempre no português bem escrito! #thanksgod

  12. karla gomes, 26 de fevereiro de 2017 - 11:53

    Lindo texto!!

  13. Isabella Buzini, 2 de março de 2017 - 14:10

    Amei!!!È gostoso demais quando encontramos almas que estão em sintonia de consciência. Nosso caminho, história (não sei bem como descrever) foi parecidíssimo desde 2015!!!!! Amando estar te conhecendo, espero que sejamos grandes amigas virtuais.
    Um beijo com carinho,
    Bella Buzini.

Leave a note

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *